Estrabismo e o meu professor de Matemática

Tenho estrabismo, qual o problema ?

A partir da adolescência, depois de ter passado por uma fase menos boa da minha vida e ter sido capaz de admitir que teria de viver com o estrabismo para o resto da minha vida adquiri a capacidade de conviver pacificamente com o estrabismo. Para mim, o facto de ser estrábico motiva-me.

Você que lê isto pode não compreender e achar até estranho,mas o facto de ser estrábico dá-me algum à vontade em relacionar-me as outras pessoas, tenho sempre tema de conversa. Eu compreendo que é normal por vezes as outras pessoas ficarem um pouco baralhadas, sem saber muito bem para onde estou a olhar. Existem mesmo pessoas que se sentem incomodadas em me encarar olhos nos olhos (eheheh, esta é difícil . Normalmente quando isto acontece, sou eu que coloco a pessoa à vontade, falando directamente do problema que tenho, pessoalmente não acho que o estrabismo seja um problema, é uma limitação apenas. Na minha vida pessoal e profissional o estrabismo não me afecta minimamente.

Então e o professor de Matemática ?

O meu professor de matemática era um tipo extremamente bem disposto e um belíssimo professor de Matemática. Dava gosto assistir aquelas aulas, ele conseguia transformar uma matéria que grande parte das pessoas detesta em coisas divertidas. Foi com ele que comecei a “olhar” a matemática de outra maneira.

O único defeito que tenho a apontar, era a sua paranóia nos dias de prova. Ele desconfiava de tudo e de todos, antes de entrarmos na sala para fazer a prova, éramos revistados um por um, verificava as nossas máquinas de calcular para confirmar que não tinha-mos cábulas. Num desses dias de prova eu fiquei sentado na primeira fila de mesas sentado ao lado de um colega que já tinha tido uma prova anulada por ter sido apanhado a cabular. Estava eu concentrado a fazer a prova, quando reparei que o professor já estava ao pé de nós à algum tempo a dizer qualquer coisa que eu nem tinha percebido, de repente sinto uma mão a puxar a minha folha de exame e a dizer em voz bem alta – “Não é a copiar “que você vai passar no meu exame”. Levanto a cabeça e fico a olhar perplexo para o professor, sem perceber bem o que se estava a passar. O professor olha para mim e diz –  “Você acha que por ter os olhos tortos, eu não sei quando está a copiar ??!”. Eu tive que esboçar um sorriso e perguntar-lhe qual o motivo daquela insinuação. A justificação dele foi de que ele reparou que eu estava a olhar para o teste do meu colega. Virando a minha cabeça directamente para ele, perguntei – “Para onde estou a olhar agora ?”.

O professor ficou meio sem jeito e arriscou – “Para mim!!”. Não estou não, o cabide que está ao pé da porta, por tráz de si, tem 3 casacos, a minha colega da mesa do lado está a mexer na máquina de calcular, infelizmente não consigo ver tão bem para saber o que está a escrever ao certo. Contudo se não acreditar em mim, pode confirmar as respostas que eu dei ao exame e comparar com as do meu colega para ver se são iguais.

Ele ficou avermelhado, que eu pensei que ele ia ter um ataque de raiva. Olhou para o meu exame, olhou para mim, deu-me o exame e disse para terminar o exame. No fim da prova pediu para falar em privado comigo. Queria pedir-me desculpas pelo sucedido, ficou mesmo com a impressão que eu estava a copiar. Eu disse que não, sou estrábico, tenho estrabismo divergente. Uso apenas um olho para focar, mas sou capaz de ver e conseguir interpretar o que os meus dois olhos vêm.

Levei a situação toda com algum humor, entendo o meu professor e sei que não é fácil alguém perceber para onde estou a olhar. Este foi apenas um dos episódios engraçados que já passei devido ao meu estrabismo.

Enjoyed this post? Share it!

 

3 thoughts on “Estrabismo e o meu professor de Matemática

  1. Tenho estrabismo convergente nos dois olhos, mas em um deles é bem pequeno por ter sido corrigido por cirurgia. Algo engraçado que vivencio frequentemente é que eu aceno para uma pessoa, e a que está ao lado dela responde também.

    • My wife always wanted one of these but never got it. Now that we have a daughter of our own , she was looking forward to getting one for her. Now I wonder if she will. The new version will cook better but I&;8712#m not sure that makes it better overall. It seems some of the novelty may be lost.

Deixe uma resposta para Marco F. Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *